Fibria News

Contatos das Assessorias de Imprensa

FSB ComunicaçõesNacional
Maria Cláudia Almeida
Tel.: (11) 3165 9648
Cindy Correa
Tel.: (11) 3165 9570
Paula Barcellos
Tel.: (11) 3165 9589
Pauta 6 ComunicaçãoES e BA
Rogéria Gomes
Tel.: (27) 3235 6996
Performa ComunicaçãoInterior de SP
Kamilla Barboza
Tel.: (12) 3939 2699
(12) 99188 7437
Performa ComunicaçãoMS
Kamilla Barboza
Tel.: (12) 3939 2699
(12) 99188 7437
Luciana Navarro
Tel.: (67) 9803 7092

Atualizado em 19.02.2015

Mídia | Releases

19 de fevereiro de 2015 - Programa Colmeias fortalece produção de mel no Espírito Santo

Associações que fazem parte do programa, desenvolvido pela Fibria,  responderam por quase 80% da produção de mel capixaba em 2014

Projeto Colmeias em AracruzAracruz (ES) – O Programa Colmeias, iniciativa da Fibria em parceria com associações e cooperativas de apicultores, vem contribuindo para fortalecer a apicultura no Espírito Santo, gerando emprego e renda a partir do desenvolvimento e aperfeiçoamento da cadeia produtiva da atividade. Em 2014, no Espírito Santo, as associações que fazem parte do programa responderam por quase 80% (299.867 quilos) da produção total estimada pelas associações apícolas do estado (376.683 quilos).

O Colmeias teve seu plano de ação reformulado em 2014 e passou a atuar dentro da metodologia participativa do Programa de Desenvolvimento Rural Territorial (PDRT), desenvolvido pela Fibria. A iniciativa, que antes contemplava associados que produziam em áreas florestais cedidas pela empresa para instalação de colmeias, passou a atender também outros apicultores.

“Com a inserção, as associações passaram a contar com apoio mais estruturado, desde o início da cadeia de produção até a etapa final, contemplando produção, comercialização e gestão tanto das associações como capacitações para que cada apicultor faça seu plano de negócios. O objetivo é que ele consiga visualizar claramente aonde quer chegar na atividade apícola e como fazer isso”, explica Claudia Cristina Belchior, consultora de Sustentabilidade da Fibria.

Com a mudança no programa, de 2013 a 2014, o número de apicultores participantes do Colmeias saltou de 20 para 238 nos estados do Espírito Santo e Bahia. O número de associações participantes duplicou neste período.

Em território capixaba, o Colmeias conta com a participação de nove associações nos municípios de Aracruz, Fundão, Santa Maria de Jetibá, Colatina, Jaguaré, São Mateus, Conceição da Barra, Viana e Domingos Martins. Na Bahia, o programa está presente nos municípios de Caravelas e Mucuri.

Inclusão Produtiva

Uma das ações que vem contribuindo para os avanços do programa no Espírito Santo é a parceria firmada entre a Fibria e o Apisfrut, programa de Inclusão Produtiva e Desenvolvimento Setorial, desenvolvido pelo Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) em parceria com o Ministério da Integração Nacional, e operacionalizado por meio do Instituto Saviesa. Dialogando com o Colmeias, o Apisfrut visa incentivar a apicultura e a fruticultura, promovendo a inclusão produtiva e o desenvolvimento social.

O Programa beneficia 30 associações no Espírito Santo, nove das quais são apoiadas pelo Colmeias. “O Apisfrut doa equipamentos e infraestrutura  para as associações e o Colmeias apoia na gestão desses recursos, incluindo os aspectos fiscal, contábil e administrativo. Para o recebimento dos kits apícolas, pelo Apisfrut, todos os apicultores são capacitados, mesmo os que não possuem apiários em áreas da Fibria. Em 2014, foram capacitadas 184 pessoas em apicultura básica”, destaca Claudia.

O Apisfrut contempla a doação de 700 kits de apicultura básica e de 100 kits de apicultura avançada para produção de pólen e própolis; construção de 30 salas de extração de mel; três entrepostos; um centro de distribuição e um laboratório para análise do mel. A partir dessas iniciativas, a meta é agregar valor à produção dos apicultores, contribuindo para ampliar a renda obtida com a atividade.

Sobre o Programa Colmeias – Desenvolvido pela Fibria, o Colmeias tem como objetivo contribuir para o fortalecimento da atividade apícola, implantando novas tecnologias em conjunto com os apicultores, produtores rurais, assentados da agricultura familiar, por meio do uso múltiplo da floresta, organizando de forma sustentável a cadeia produtiva do mel e proporcionando a melhoria na geração de renda e qualidade de vida das comunidades.

<< VOLTAR