Atualizado em 01.11.2013

Institucional | Compromissos

A Fibria participa atualmente de 137 fóruns, associações, grupos de trabalho, entre outros, ocupando posições consultivas e executivas em 24 deles. Conheça, a seguir, os principais compromissos assumidos pela empresa e os diálogos nos quais esteve envolvida em 2012.

Pacto Global

A Fibria reafirmou, em 2012, seu compromisso com o Pacto Global, uma iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU) que busca reforçar, na comunidade empresarial, a adoção de valores fundamentais de direitos humanos, relações de trabalho justas, respeito pelo meio ambiente e combate à corrupção. As ações da Fibria em 2012, que se enquadram nos dez princípios estabelecidos pelo Pacto Global, estão identificadas no índice remissivo deste Relatório. Mais informações sobre o Pacto Global podem ser conferidas no link www.pactoglobal.org.br.

CDP Investors

A Fibria participa, desde a sua fundação, em 2009, do Carbon Disclosure Project (CDP) Investors, organização mundial com o objetivo de disponibilizar informações e orientar investidores interessados em compreender os riscos e as oportunidades trazidos pelas mudanças climáticas. A entidade congrega 655 investidores institucionais e convida anualmente mais de 6 mil empresas listadas em bolsas de valores a fornecer, de forma voluntária, informações relativas à sua governança climática. Saiba mais sobre o CDP Investors no link https://www.cdproject.net/en-US/Programmes/Pages/CDP-Investors.aspx.

CDP Supply Chain

A Fibria foi a primeira empresa do setor florestal no mundo a aderir ao Carbon Disclosure (CDP) Supply Chain. Em 2012, a empresa convidou 91 de seus principais fornecedores a se alinharem à sua estratégia de contenção das emissões de gases de efeito estufa (GEEs), comprometendo-se com as melhores práticas de gestão em face das mudanças climáticas. O índice de resposta foi de 93%, uma melhora de 22 pontos percentuais em relação a 2011. Além de divulgar suas práticas de governança climática, a Fibria pretende englobar a avaliação de riscos, ações e oportunidades das práticas de seus principais fornecedores no negócio da celulose. Os 13 fornecedores da Fibria que mais se destacaram na iniciativa em 2011, pela evolução no preenchimento do questionário e pelo engajamento com a proposta do projeto, receberam certificado de reconhecimento. Saiba mais sobre o CDP Supply Chain no link https://www.cdproject.net/en-US/Programmes/Pages/CDP-Supply-Chain.aspx.

New Generation Plantations (NGP)

Esse projeto, criado em 2007 pelo World Wide Fund for Nature (WWF), envolve empresas e agências governamentais para avaliar e estabelecer os melhores conceitos e técnicas de manejo florestal na silvicultura, tendo em vista a conservação da biodiversidade e o atendimento a necessidades humanas. A Fibria aderiu ao projeto, comprometendo-se a promover, em seus novos plantios florestais, a conservação dos ecossistemas, a participação efetiva das partes interessadas, o crescimento econômico e a geração de empregos. Em 2012, a Fibria, em parceria com o WWF, promoveu o encontro anual do New Generation Plantations (NGP), no qual representantes da ONG, de empresas florestais e especialistas discutiram como essas plantações podem contribuir para a manutenção dos serviços ecossistêmicos e, ao mesmo tempo, prover recursos para atender ao consumo de uma população cada vez mais crescente. O evento contou com a participação de mais de 70 especialistas de diversos países – Finlândia, África do Sul, Inglaterra, Portugal, França, Estados Unidos, Malásia, Indonésia, Chile, Uruguai, entre outros. No site no NGP estão publicados os estudos de caso Carbon Management Programmes (www.newgenerationplantations.com/climate_brazil_fibria.html), sobre as ações da Fibria para o monitoramento e a redução da pegada de carbono, e Community Nurseries Take Root (www.newgenerationplantations.com/social_brazil_fibria.html), sobre a produção de mudas nativas em viveiros comunitários apoiados pela empresa.

WaterFootprint Network

A WaterFootprint Network (WFN) é uma fundação internacional que congrega empresas que avaliam voluntariamente sua “pegada hídrica”, ou seja, o volume de água consumido em seu processo de produção, direta ou indiretamente. A Fibria aderiu à WFN em março de 2010, numa demonstração de seu compromisso com o desenvolvimento sustentável por meio da gestão estratégica e do uso racional da água. Em 2012, a empresa concluiu a avaliação da pegada hídrica em sua cadeia de valor, medindo o uso da água em todo o ciclo de produção, desde o viveiro florestal até a entrega do produto aos clientes (ver o capítulo “Objetivos e metas de curto prazo”). Saiba mais sobre a WFN no link www.waterfootprint.org.

CarbonFootprint

O relatório CarbonFootprint 2013 da Fibria revelou que a empresa sequestrou, ao longo de 2012, um total de 16.944.364 milhões de toneladas de carbono em suas áreas florestais (plantadas e nativas). O mesmo estudo calculou que as operações florestais, industriais e de logística das Unidades Jacareí (SP), Aracruz (ES) e Três Lagoas (MS) emitiram aproximadamente 1.702.944 milhão de toneladas de carbono no processo de produção de celulose, mais 11.663.379 milhões de toneladas decorrentes da queima de biomassa para geração de energia. O balanço de carbono da Fibria, portanto, mostra que a empresa absorve três toneladas de carbono para cada tonelada de carbono que a produção de celulose emite. A emissão de gases de efeito estufa por tonelada de celulose, em 2012, ficou em 0,8 tCO2/tonelada de celulose. A auditoria de validação do inventário de emissões de gases de efeito estufa da Fibria foi realizada pela PricewaterhouseCoopers. O certificado do CarbonFootprint garante que o inventário está alinhado às metodologias internacionais ISO 14064 e GHG Protocol. Saiba mais sobre o CarbonFootprint no link www.carbonfootprint.com.

Rio+20

Em junho de 2012 ocorreu, no Rio de Janeiro, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Rio+20. O encontro – que teve dois temas principais: "A economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza" e "A estrutura institucional para o desenvolvimento sustentável" – reuniu representantes dos 193 Estados membros da Organização das Nações Unidas (ONU) e de diversos setores da sociedade civil de vários países em debates que ajudaram a definir a agenda do desenvolvimento sustentável para as próximas décadas. Além disso, com os eventos Forests: the Heart of a Green Economy e Rio+20 Business Day, o setor brasileiro de celulose e papel colocou as florestas plantadas no centro dos debates para a construção de uma economia verde. O setor propôs a inclusão de dois temas nas discussões da conferência da ONU: valorização de créditos de carbono florestal e biotecnologia arbórea. O Rio+20 Business Day foi organizado pelo World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), pela International Chamberof Commerce (ICC), pelo Pacto Global das Nações Unidas e apoiado pela Fibria. O presidente do Conselho de Administração da Fibria, José Luciano Penido, foi palestrante nos dois eventos e Marcelo Castelli, presidente da Fibria, participou do Rio+20 Business Day. Outras participações da Fibria incluíram a presença de José Luciano Penido no talk show “Mecanismos de Valorização da Biodiversidade: propostas e desafios” e no fórum “Exemplos do Setor Empresarial Brasileiro a Caminho de uma Economia Verde”. Já Aires Galhardo, diretor Florestal da companhia, foi um dos palestrantes do painel sobre Tecnologias para Sustentabilidade no Seminário de Lideranças Empresariais. Ao final da Rio+20, foi produzido o documento O Futuro Que Queremos, que renova o compromisso dos Estados-membros presentes com o desenvolvimento sustentável, nos âmbitos econômico, social e ambiental. O texto está disponível em diversos idiomas no site www.uncsd2012.org/thefuturewewant.html.

The Forests Dialogue (TFD)

Destaca-se a atuação da companhia no The Forests Dialogue (TFD), entidade que promove debates sobre questões sensíveis na área florestal, envolvendo empresas florestais, ONGs, comunidades indígenas e organismos multilaterais. Carlos Alberto Roxo, diretor de Sustentabilidade e Relações Corporativas da Fibria, é atualmente um membro do Comitê Consultivo. Em 2012, o TFD realizou diversos diálogos em cinco áreas: investimentos em florestas controladas localmente por comunidades ou proprietários florestais; mecanismo REDD dos acordos de mudanças climáticas; consentimento prévio de comunidades indígenas a atividades em suas áreas; árvores geneticamente modificadas; e os 4Fs, que debate a produção de alimento, combustível e fibra (em inglês, food, fuel, fiber and forest). Em novembro, 65 lideranças nacionais e internacionais do setor privado, comunidades, ONGs, institutos de pesquisa e organizações intergovernamentais participaram, em Capão Bonito (SP), do "Diálogo 4Fs Brasil". O evento colocou em debate as experiências brasileiras no atendimento às crescentes demandas da sociedade pelos 4Fs. O Diálogo foi promovido pelo TFD em parceria com o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social e o apoio da Fibria, do BNDES, da Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa), do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e de instituições internacionais. Ao final do encontro, os colíderes do TFD produziram um relatório com o que foi abordado nos quatro dias. O resumo dessa publicação pode ser lido no link http://environment.yale.edu/tfd/uploads/TFD_4Fs_Brazil_Co-ChairsSummary_en_lo_res%20(2).pdf.

Forest Solutions

A Fibria também deu continuidade à sua participação no grupo Forest Solutions, do World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), que conta com mais de 20 empresas da cadeia de valor do setor florestal e publicou importantes documentos em 2012, disponíveis no site do grupo. José Luciano Penido, presidente do Conselho de Administração da Fibria, é um dos dois co-chairmen do grupo florestal.

Diálogos Construtivos

O ano de 2012 marcou a realização de duas edições dos Diálogos Construtivos, eventos de debates promovidos pela Fibria em Três Lagoas e em São José dos Campos, com a participação de 160 pessoas, entre representantes da empresa, comunidades, clientes e instituições socioambientais, com o objetivo de construir relações sustentáveis nas regiões de atuação da companhia.

Diálogo Florestal

A empresa manteve sua atuação nos fóruns regionais do Diálogo Florestal, como o do Espírito Santo, o do sul e extremo sul da Bahia, o de São Paulo e o do Mato Grosso do Sul. Conheça as principais discussões e os resultados das reuniões dos fóruns do Diálogo Florestal no link www.dialogoflorestal.org.br.

Certificações florestais

Com o propósito de contribuir para o desenvolvimento dos sistemas de certificação da atividade florestal, a Fibria participou da Assembleia Geral do FSC® em Bonn, na Alemanha, e seu gerente de Meio Ambiente Florestal participou do grupo de trabalho de definição dos indicadores da certificação. A empresa também foi aceita, em novembro, como membro internacional do conselho do Programme for the Endorsementof Forest Certification (PEFC), organização não governamental que promove, por meio de certificação, a gestão florestal sustentável e o respeito aos mais elevados padrões ecológicos, sociais e éticos na cadeia de produtos madeireiros e não madeireiros. A Fibria foi representada no evento por seu gerente-geral Comercial na Europa. Saiba mais sobre o PEFC no site www.pefc.org.