Atualizado em 28.07.2014

Ambiente | Poupança florestal

O Poupança Florestal é um programa de incentivo à plantação de eucalipto para agricultores que possuem propriedades rurais próximas às áreas de plantio da Fibria. O programa está presente nos estados da Bahia (Extremo Sul), Espírito Santo, Rio Grande do Sul e São Paulo.

O modelo de produção abre uma perspectiva de negócio sustentado para o produtor rural, que recebe incentivos para o plantio desde o primeiro ano do programa, com fornecimento das mudas de eucalipto para reflorestamento, assistência técnica, garantia de comercialização da madeira e educação ambiental.

Este programa estimula a geração de renda, a preservação do meio ambiente e a sustentabilidade no campo, pois permite o convívio da floresta com a produção de alimentos e a pecuária.

Principais benefícios

  • Mudas de eucaliptos produzidas com tecnologia de última geração.
  • Acompanhamento profissional que orienta o manejo da floresta.
  • Planejamento da propriedade por meio da elaboração de planta (mapa) da área, com demarcação de estradas, talhões e Áreas de Preservação Permanente (APPs).
  • Qualificação de profissionais e produtores rurais.
  • Desenvolvimento dos conceitos de Certificação Florestal.
  • Garantia de compra da madeira.

Dicas técnicas

Produtos fitossanitários com registro

Para uso em reflorestamento, a Fibria só recomenda produtos fitossanitários registrados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). O uso de outros produtos sem registro como o DMA por exemplo, comumente utilizado em agricultura e pastagem, não é permitido em áreas próprias ou do Poupança Florestal. Para que não haja dúvidas, todos os produtos registrados para uso em reflorestamento possuem as letras NA (Não Agrícola) no final do nome.

Recomendações importantes para a utilização segura de qualquer produto:

  • Tenha a recomendação técnica de um profissional habilitado (engenheiro florestal ou agrônomo).
  • Sempre leia a bula (que muitas vezes vem no próprio rótulo da embalagem).
  • Utilize equipamentos de segurança, como botas impermeáveis, macacão, luvas e máscara.
  • Verifique o estado do equipamento (limpeza e regulagem, por exemplo) antes de aplicar o produto.

Destino certo para as embalagens

Após o uso de produtos fitossanitários, é preciso observar os procedimentos corretos de descarte das embalagens, em respeito à saúde da população e preservação do meio ambiente.

As embalagens vazias de todos os insumos fornecidos pela Fibria (adubos, herbicidas, formicidas, inseticidas etc.) deverão ser devolvidas à empresa, pelos veículos de transporte de insumos ou por um técnico do Poupança Florestal. As embalagens de produtos que não forem fornecidos pela Fibria podem ser devolvidas em uma central de recolhimento de embalagens. Antes de fazer o descarte, no entanto, é importante esvaziar totalmente a embalagem e, no caso de embalagens rígidas (metálicas, plásticas e vidro), realizar a tríplice lavagem.

Os procedimentos da tríplice lavagem, bem como os endereços das centrais de recolhimento, podem ser obtidos com os técnicos do Poupança ou pelos telefones 0800-393949 / 0800 7079810 (ligações gratuitas).

Utilização e enriquecimento de resíduos na alimentação do gado

O uso de subprodutos e resíduos agroindustriais na alimentação do gado, desde que devidamente tratados, pode ser uma boa opção para o criador, não só por seu valor nutritivo, mas também pelo combate ao desperdício. O doutor em produção animal Onaldo Souza, pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), cita como exemplos as palhas (de feijão, milho e outras), o bagaço de cana-de-açúcar e a casca de arroz. O tratamento desse tipo de resíduo com ureia é muito eficiente, pois a ureia, elemento produzido sinteticamente a partir da combinação de amônia e dióxido de carbono, pode substituir, com eficácia, parte da proteína da ração para ruminantes, em razão de seu alto teor de nitrogênio. A amonização, como é denominada a técnica, é, segundo o pesquisador, de fácil execução, prática e segura, pois não apresenta riscos para quem a realiza.

A dosagem de ureia recomendada é de 5%, em média, com base na parte seca do material a ser tratado. Para uma grande quantidade de material, pode-se distribuir a solução por meio de um pulverizador e, ao final da pulverização, deve-se cobrir todo o material com uma lona de polietileno, para que o ambiente se torne hermeticamente fechado.

Sites permitem consulta a boletins agrometeorológicos

Para quem tem acesso à internet, boletins agrometeorológicos on-line são uma opção prática e rápida para fazer consultas sobre o tempo. O Agritempo, boletim produzido pela Embrapa e a Unicamp, além de informar a situação climática atual, alimenta a Rede Nacional de Agrometeorologia (RNA), do Ministério da Agricultura, com informações básicas que orientam o zoneamento agrícola brasileiro. O internauta também pode se cadastrar para receber boletins em seu e-mail. O Climatempo traz informações gerais sobre clima, desenvolve boletins personalizados e também apresenta dicas de saúde e links para diversos canais de tempo.

Saiba como fazer adubo orgânico

O esterco de animais ou aves pode ser aproveitado para fabricação de adubo orgânico, como composto ou fertilizante foliar, chamado de biofertilizante. Além de ter um custo bem baixo, os adubos orgânicos servem para nutrir a planta e aumentar a resistência contra pragas e moléstias. Esse tipo de adubo vem sendo muito utilizado na agricultura ecológica.

O processo de produção é bastante simples, desde que haja esterco de gado disponível na propriedade. Não há contraindicação ao uso, mas é muito importante deixar o esterco secar antes de utilizá-lo, pois ele pode queimar a planta quando fresco.

Saiba como proteger seu pomar no inverno

Uma das melhores formas de proteger as árvores do seu pomar contra o ataque de brocas e cochonilhas no inverno é usar uma pasta de enxofre. Além de ser fácil de fazer, essa pasta possui um custo muito baixo. Para fazê-la são necessários:

  • 1 kg de enxofre ventilado em pó;
  • 2 kg de cal virgem extinta (para fazer o leite de cal);
  • 500 gramas de sal de cozinha;
  • 15 litros de água.

Para preparar, é preciso um tambor para diluir o enxofre com um pouco de água quente, até formar a pasta. Depois, complete o tambor com água. Em seguida, coloque lentamente a cal, mexendo bem, e depois acrescente o sal de cozinha.

Deve-se pincelar ou caiar o tronco da árvore e os ramos principais com a pasta, pelo menos quatro vezes no ano, de maio a junho.

Alho: um repelente natural

O alho pode ser usado como um defensivo alternativo. Ele já é muito utilizado nos Estados Unidos como repelente de pragas na forma de óleo, diluído e aplicado nas plantas. Não causa nenhum prejuízo para o ambiente nem contamina o homem e os alimentos. Até quando plantado com cultivos comerciais o alho funciona como repelente de pragas.

Como obter uma boa pastagem

Para obter uma boa pastagem é necessário adotar uma série de cuidados, que incluem a análise da geografia do solo, com verificação de presença de pedras, propriedades físicas e químicas do terreno, tipo de vegetação etc. A partir dessa análise será permitido, se necessário, corrigir o solo com aplicações de calcário e adubo.

No caso de não ser possível fazer a correção, deve-se plantar o capim que mais se adapte às condições do solo. Os técnicos podem indicar a espécie mais adequada, mas é importante saber que não existe pastagem que acabe com todos os problemas.

De acordo com a atividade futura da propriedade, podem-se considerar três situações:

Cria
Admite pastagens com menor grau de diversificação e de qualidade mais baixa.
Cria/Recria e Engorda
Requer maior grau de diversificação, já que é preciso atingir os mais variados graus de exigências nutricionais das diferentes categorias animais.
Engorda
Necessita de pastagens de elevada qualidade com altas produções de verão e, se possível, com boas condições para o inverno.

A implantação de uma pastagem, embora possa ser considerada simples, requer cuidados especiais. Sempre que possível, busque o aconselhamento de um engenheiro agrônomo especializado no assunto.

Prevenção de doenças em tomatal por computador

A Embrapa Hortaliça desenvolveu um sistema de previsão e aviso para controle de doenças foliares de tomateiros, que consiste em um monitoramento da temperatura e da umidade, realizado por um programa de computador instalado no interior da lavoura. Esse sitema permite calcular a possível ocorrência de doenças, de acordo com as variáveis do ambiente. Assim, além de usar o fungicida adequado, o produtor sabe o momento exato da aplicação.

Esse é um trabalho inédito no Brasil, que visa ao uso racional de fungicidas no controle das principais doenças foliares do tomateiro e torna possível reduzir em cerca de 30% o número total de pulverizações, o que gera uma economia de aproximadamente R$ 300,00/hectare e 25 kg de fungicidas/hectare em tomateiro industrial.

Fontes: Sociedade Nacional de Agricultura, Incaper e www.agrorganica.com.br.

Dicas ambientais

Cinzas de madeira

A cinza de madeira é um material rico em potássio, que pode ser utilizado em mistura com outros produtos naturais para controle de pragas e de algumas doenças.

Para fazer a mistura, utilize meio copo de cinza de madeira, meio copo de cal virgem e 4 litros de água. A cinza deve ser colocada antes em água, repousar pelo menos 24 horas e depois ser coada e misturada com a cal virgem hidratada e pulverizada.

Farinha de trigo

A farinha de trigo de uso doméstico pode ser efetiva no controle de ácaros, pulgões e lagartas. Seu emprego é favorável em dias quentes e secos com sol. Deve ser aplicada de manhã de forma que cubra totalmente as folhas. Com a ação do sol, a farinha, diluída em água, forma uma película que envolve as pragas e depois cai com o vento. Ela pode ser pulverizada em vegetais sujeitos ao ataque de lagartas.

Preparo: diluir 1 colher de sopa (20 g) em 1 litro de água e pulverizar nas folhas atacadas. Repetir depois de 2 semanas.

Recente aliado no combate a pragas

Um importante aliado no combate natural a pragas é o nim, árvore frutífera originária da Índia que se adaptou bem ao clima brasileiro. Esse ótimo repelente natural tem como princípio ativo a substância azaracthina, e acredita-se que tenha efeito sobre mais de 400 dos 650 insetos nocivos conhecidos no mundo. No combate a pragas, utiliza-se o óleo extraído das sementes da planta, mas as folhas e casca também possuem propriedades defensivas. Antes de plantar ou utilizar o nim no combate a pragas, recomenda-se consultar um técnico.

Fonte: Incaper

Curiosidades

  • Um hectare (ha) corresponde a uma área equivalente a 1 campo oficial de futebol.
  • Um metro cúbico (m³), unidade utilizada para medir a quantidade de madeira, corresponde a uma pilha de madeira sólida de 1 m de altura, 1 m de comprimento e 1 m de largura.
  • A unidade de crescimento da floresta é m³/ha/ano, que indica quantos metros cúbicos de madeira a floresta cresce por cada hectare no período de 1 ano.
  • Aos 7 anos de idade, uma árvore de eucalipto tem aproximadamente 25 m de altura e 18 cm de diâmetro.
  • Para formar 1 m³ de madeira, são necessárias de 3 a 5 árvores com 7 anos de idade.
  • 1 m³ de madeira pesa de 450 a 500 quilos, após ser eliminada toda a água da madeira.
  • Para produzir 1 tonelada de celulose são necessários 3,5 m³ de madeira ou 2 toneladas de madeira seca.
  • É possível produzir mais de 20 mil folhas de papel A4 a partir de uma árvore de eucalipto.
  • 1 hectare de plantio de eucalipto possibilita produzir aproximadamente o mesmo volume de madeira que 30 ha de floresta nativa, ou seja, em cada ha de plantações preservamos 30 ha de floresta nativa.

Fale conosco

A equipe do Poupança Florestal abre este canal para falar diretamente com você. Exponha seu ponto de vista, dê sugestões e esclareça suas dúvidas. Sua participação é fundamental. Veja abaixo os dados de contato.

Informações gerais sobre o programa

Rafael Carvalho Rodrigues: rcrodrig@fibria.com.br
(27) 3270-2452

Poupança Florestal São Paulo

Diogo Adriano Rodrigues: diogo.rodrigues@fibria.com.br
(12) 2125-9872

Poupança Florestal Espírito Santo

Fabiano Souza Rocha: fsrocha@fibria.com.br
08000-39-3949 Opção 3

Poupança Florestal Bahia

Adriano Rodrigues Furini: arfurini@fibria.com.br
08000-39-39-49 Opção 1

Poupança Florestal Rio Grande do Sul

Leonardo Souza Martins: leonardo.souza@fibria.com.br
(53) 2123-1991