Ambiental – Fibria
Sustentabilidade

Ambiental

As florestas plantadas representam um ativo de valor inestimável para a Fibria, que investe na proteção do meio ambiente e no aperfeiçoamento contínuo do manejo, com foco na sustentabilidade.

Dos 1.092 milhão de hectares de florestas administrados pela companhia, 374 mil são dedicados exclusivamente à conservação ambiental, protegidos em Reservas Legais, Áreas de Preservação Permanente, Reservas Particulares do Patrimônio Natural e outras áreas de conservação.

As reservas também são importantes para a formação de corredores ecológicos, a proteção de espécies endêmicas que se desenvolvem em áreas restritas, a manutenção da biodiversidade dos biomas brasileiros, a regulação dos recursos hídricos, o sequestro e estoque de carbono da atmosfera e o auxílio à estabilidade dos plantios da empresa.

A Fibria também adota iniciativas para produção ecoeficiente em suas fábricas, o que significa operar segundo diretrizes de responsabilidade ambiental, utilizando recursos naturais renováveis e direcionando o mínimo de resíduos para o meio ambiente. São feitos investimentos contínuos em programas de ecoeficiência para atender às Metas de Longo Prazo, definidas tanto para a redução de resíduos sólidos em aterro como para a redução da captação de água industrial.

As áreas de conservação mantidas pela Fibria também são particularmente ricas em flora e fauna e abrigam espécies ameaçadas de extinção. A proteção dessas florestas é feita por meio de restauração, aprimoramento do manejo, estudo da dinâmica florestal e integração com a matriz de plantios. Entre as ações de comprovada eficácia estão a formação de corredores ecológicos e a redução ou eliminação de impactos negativos, a partir de uma abordagem científica dos ecossistemas, com a formação e a operação das suas plantações.

Biodiversidade

As operações da Fibria estão inseridas nos biomas cerrado e mata atlântica, considerados dois hotspots de biodiversidade mundiais (*hotspot de biodiversidade ou hotspot ecológico é uma região biogeográfica que é simultaneamente uma reserva de biodiversidade, que pode estar ameaçado de destruição).

Uma das metas da Fibria é a restauração ambiental de 40 mil hectares de áreas próprias até 2025. O projeto Mosaicos Florestais Sustentáveis, por exemplo, em parceria com empresas, o terceiro setor e a academia, prioriza a recuperação e a conservação da Mata Atlântica, a fim de gerar ganhos significativos para a biodiversidade.

Conservação e Manejo de Recursos Naturais

Este programa identifica, monitora e avalia o manejo ambiental nas áreas da Fibria, para controlar o risco de impacto das atividades e orientar medidas preventivas. As informações obtidas são utilizadas para o planejamento de iniciativas de proteção e conservação dos recursos naturais.

Entre as ações destacam-se a identificação e o mapeamento dos biomas locais, o levantamento da flora nativa remanescente, a identificação de áreas de relevante interesse ecológico e a análise e a definição de meios de proteção e restauração de áreas destinadas à conservação. O programa também envolve medidas de manejo de vida silvestre e identificação de espécies de plantas e animais invasores.

Mudanças Climáticas

As mudanças no clima provocadas pela emissão de gases do efeito estufa representam riscos para os recursos naturais do planeta e, consequentemente, para as operações da Fibria e dos negócios de base florestal. Já se percebem alterações no regime das chuvas e aumento da temperatura dos oceanos, e esses eventos podem agravar situações como seca, inundações, destruição de habitats de animais e anomalias no crescimento das árvores.

Para cumprir o compromisso de redução do impacto ambiental de suas operações, a Fibria estruturou um programa dedicado às mudanças climáticas. Entre outras ações, em 2016 a Fibria aumentou de 37 para 57 o número de suas estações meteorológicas, para o monitoramento mais exato das chuvas e das condições climáticas. Além disso, desenvolveu um processo integrado de planejamento da paisagem baseado no modelo hidrológico SWAT (Ferramenta de Avaliação de Solo e Água) e testou recomendações que consideram critérios ambientais para apoiar o planejamento das florestas.

Anualmente a empresa realiza o inventário, o balanço e estoque de carbono de suas operações desde o processo de produção de mudas até os portos de destino dos nossos produtos. A partir destes resultados são gerenciadas ações visando internalizar a gestão de mudanças climáticas nos investimentos, nas operações, tecnologias e inovações. A Fibria tem um balanço de emissões positivo, uma vez que sequestra mais carbono da atmosfera do que emite em suas operações industriais, florestais e de logística.

A empresa definiu como meta, até 2025, a duplicação do sequestro líquido de carbono em relação a 2011 e, anualmente, publica um inventário de gases de efeito estufa, com resultados, histórico e esclarecimento a respeito do seu desempenho.

Diálogo Operacional

As operações de colheita nas áreas de plantio de eucalipto geram impactos nas comunidades vizinhas. Por isso, é preciso conhecer bem essas comunidades e estabelecer um espaço permanente de aproximação e diálogo. Este processo, conhecido como Diálogo Operacional, tem início com a chegada das equipes da Fibria, em geral antes das operações florestais, para a apresentação detalhada dos processos operacionais. A comunidade é ouvida em relação às suas dúvidas, críticas e sugestões. O Diálogo é conduzido de forma multidisciplinar pela empresa, envolvendo profissionais das áreas Florestal, de Sustentabilidade e Meio Ambiente.

Água

Captação de Água

Na gestão de recursos hídricos, a Fibria se tornou benchmark mundial para o setor e, em 2016, estabeleceu metas de longo prazo nas frentes floresta, viveiros e indústria:

  • Floresta: realizar a gestão hídrica em microbacias e disseminar conhecimentos técnicos a respeito do tema entre os vizinhos em bacias críticas;
  • Viveiros: reduzir 17% do consumo específico de captação de água por muda produzida;
  • Indústria: reduzir 17% do consumo de captação de água por tonelada de celulose produzida.

Numa visão ampla do risco de escassez de água, a Fibria mapeou 246 bacias hidrográficas e decidiu atuar em nove delas, localizadas em regiões em que a companhia mantém plantios e cujo manejo florestal pode influenciar a oferta hídrica. O conhecimento e o aprendizado obtidos nesse levantamento – como análise dos tipos de captação e uso de água, formas de redução de consumo e técnicas simples de irrigação e reciclagem – estão sendo compartilhados com os vizinhos, a fim de fortalecer o diálogo e promover ações integradas nas comunidades.

Nas fábricas da Fibria, o processo industrial atingiu um patamar de excelência em captação e consumo de água, e suas unidades operam com captação entre 25 m3 e 30 m3 por tonelada de celulose produzida. As diretrizes internacionais do Integrated Pollution Prevention and Control (IPPC) e do International Financial Corporation (IFC) estabelecem o intervalo de 25 m3 a 50 m3 por tonelada de celulose como melhores práticas globais de captação de água.

Em média, a Fibria consome 5 m3 de água por tonelada de celulose fabricada, o que significa que a companhia utiliza, em média, 4,5 vezes a mesma água e retorna à fonte 85% da água necessária para o processo completo. No que diz respeito aos viveiros, a empresa trabalha em diversas iniciativas, como uso de substrato com maior capacidade de retenção de água, monitoramento e gerenciamento diário do consumo de água, uso de novas tecnologias para a produção de mudas e reutilização de águas pluviais para irrigação. Como resultado, foram alcançados benefícios importantes, como menor retirada de água de fontes naturais; redução de impactos ambientais e maior eficiência de produção. Conheça mais sobre o desempenho da Fibria acessando o Relatório Anual.

Resíduos Industriais

A Fibria tem como meta reaproveitar 91% dos resíduos industriais, incluindo cinzas, lama de cal, lodo primário e sucatas do processo. Parte desse volume tem destinação interna e parte pode ser utilizada como matéria-prima por indústrias de diferentes setores. Em 2016, a companhia vendeu 886 mil toneladas de resíduos industriais. A empresa adota como premissa na gestão de resíduos sólidos industriais a obtenção de coprodutos, que são resíduos processados com valor energético (alto teor de carbono), e de valor agronômico para uso na silvicultura e agricultura em geral.
Conheça mais sobre a meta de longo prazo da Fibria sobre resíduos.

Eficiência Energética

O reaproveitamento de resíduos tem papel relevante na eficiência energética da Fibria, por meio da queima do lodo biológico nas caldeiras de biomassa e em outros processos. Todas as unidades industriais da companhia são autossuficientes em energia elétrica, além de produzirem um volume excedente que é disponibilizado na rede nacional.
Conheça mais sobre a meta de longo prazo da Fibria sobre resíduos.

Programa de Educação Ambiental

Criado há mais de uma década, o Programa de Educação Ambiental da Fibria promove atividades educativas relacionadas ao meio ambiente.

A partir das ações educativas, a Fibria possibilita o acesso para que pessoas ou grupos sociais adquiram conhecimentos que possibilitem melhor compreensão das questões ambientais.

Integrada ao Programa de Educação Ambiental está a Rede de Percepção de Odor (RPO), que seleciona voluntários para a busca de soluções para ocorrências no entorno das fábricas.

Núcleo de Educação Ambiental (NEA)

A Fibria mantém um Núcleo de Educação Ambiental (NEA) Industrial na unidade Jacareí (SP), com o objetivo de promover a integração entre comunidades locais e aproximação entre empresa e sociedade. O NEA atua como ambiente de difusão de planos e ações de consciência ambiental, com participação direta da comunidade, e fica aberto para trabalhos interdisciplinares que capacitam multiplicadores ambientais e melhoram a qualidade de vida. Além disso, amplia a sinergia com a prefeitura, secretarias, ONGs e outras instituições, sempre com foco na proteção ambiental.

De 2004 a 2016, o NEA em Jacareí registrou um total de 175 mil atendimentos, por meio de projetos como Ecoagentes Mirins, Formação em Educação Ambiental e Vivências Transformadoras.

Você também pode se interessar por estes assuntos