Fibria News

Contatos das Assessorias de Imprensa

Fleishman HillardNacional
Andrea Donadio
Tel.: (11) 3185 9934
Daniele Camba
Tel.: (11) 3185 9939
Célia Nogueira
Tel.: (11) 3185 9923
Pauta 6 ComunicaçãoES e BA
Rogéria Gomes
Tel.: (27) 3235 6996
Performa ComunicaçãoInterior de SP
Luciana Navarro
Tel.: (67) 3522 9838
(12) 99679 8423
Fernanda Turco
Tel.: (12) 98158 4205
Performa ComunicaçãoMS
Luciana Navarro
Tel.: (67) 9803 7092
Laila Rebecca
Tel.: (12) 99679 8331
(67) 3522 9838
Fernanda Turco
Tel.: (12) 98158 4205

Atualizado em 29.03.2016

MídiaReleases

29 de março de 2016 - Agricultores familiares do Espírito Santo e Bahia aprenderão novas práticas agroflorestais com apoio da Fibria

IMG-20160314-WA0052 IMG-20160314-WA0025Aracruz (ES) - A equipe técnica do Programa de Desenvolvimento Rural Territorial (PDRT), desenvolvido pela Fibria na Bahia e no Espírito Santo com o objetivo de fortalecer a agricultura familiar, participou no mês de março de um intercâmbio de vivência na Fazenda Jardim Agroflorestal Jequitibá, no município de Jaguaquara (BA), no sudoeste do estado. A propriedade rural é referência nacional na implantação e renovação de sistemas agroflorestais, forma de cultivo que combina a produção agrícola com árvores frutíferas ou florestais na mesma área, buscando reproduzir os processos da floresta natural.

No local, 22 técnicos de consultorias contratadas pela Fibria para atuar junto aos agricultores participantes do PDRT experimentaram novas práticas de recuperação de solo, produção de alimentos, conservação de recursos hídricos, processamento de produtos e uso de técnicas de extensão apropriadas aos agricultores familiares em processo de transição para o cultivo agroecológico. Esse tipo de cultivo é aquele cuja perspectiva agrícola considera componentes socioculturais, econômicos, técnicos e ecológicos.

Durante o intercâmbio, os técnicos desenvolvem na prática o manejo de biomassa produzida a partir de podas das árvores. Esse material resulta em uma grande incorporação de matéria orgânica ao solo, proporcionando elevado nível de sustentabilidade e produção nas áreas agrícolas.

Os conhecimentos adquiridos na Fazenda serão agora compartilhados, por meio de atividades práticas, com os produtores das propriedades contempladas pelo PDRT. Também serão identificados agricultores com potencial para passar pelo intercâmbio ainda no primeiro semestre de 2016.

O coordenador técnico do PDRT Bahia, Francisco Colli, disse que é muito gratificante poder vivenciar experiências como essas, que capacitam a manejar os recursos naturais de forma sustentável. “São esses momentos que promovem mudanças significativas em nossa prática e em nossa vida”, destacou. Da mesma opinião compartilha o coordenador técnico do PDRT em Conceição da Barra, André Pinheiro. “Perceber a empolgação das equipes participantes do intercâmbio para começar a praticar o que vivenciaram me deixa na expectativa das mudanças de realidade que podem ser alcançadas nas comunidades atendidas pelo PDRT”, afirmou.

 

Sobre o PDRT – O Programa de Desenvolvimento Rural Territorial (PDRT) tem como objetivo capacitar agricultores familiares, organizados em associações para desenvolver cultivos diversos e a criação de pequenos animais, contribuindo para incrementar a renda das famílias. O programa é a principal ferramenta de engajamento da Fibria com as comunidades vizinhas às suas operações. Os agricultores recebem assistência técnica e estímulo ao uso de tecnologias de baixo custo e reduzido impacto ambiental, além de incentivo e orientação para o acesso dos produtores a políticas públicas, ampliando as possibilidades de comercialização dos produtos.

No Espírito Santo e na Bahia, 1.539 famílias são beneficiadas pelo programa, integrantes de 52 associações e uma cooperativa. Entre os produtos cultivados estão: café, pimenta-do-reino, maracujá, feijão, limão, abóbora, abacaxi, quiabo, banana, urucum, mandioca, melancia, banana e hortaliças em geral.

Implantado em 2012, o PDRT coleciona resultados positivos. Desde o início de 2014, também passou a organizar e apoiar as associações no fornecimento de alimentos para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). A iniciativa do Governo Federal compra alimentos produzidos pela agricultura familiar e os destina às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional, aos atendidos pela rede socioassistencial, pelos equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional e pela rede pública e filantrópica de ensino.

Além do PAA, os agricultores fornecem ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), às Centrais de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa), feiras locais, quilões e para a própria comunidade. Entre os produtos comercializados estão: mel, abacate, coco verde, coco seco, limão, tangerina, laranja, jaca, aipim, hortelã-pimenta, maracujá, banana-prata, banana-da-terra e couve.

 

<< VOLTAR